quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Os ídolos culturais e o anjo no fogo

image 

O rei gritou: —Que o Deus de Sadraque, Mesaque e Abede-Nego seja louvado! Ele enviou o seu Anjo e salvou os seus servos, que confiam nele. Eles não cumpriram a minha ordem; pelo contrário, escolheram morrer em vez de se ajoelhar e adorar um deus que não era o deles – Daniel 3.28

Não é provável que alguém nos ordene ajoelhar-nos diante de uma estátua de ouro hoje (como fez o rei Nabucodonosor). Nossa cultura promove ídolos mais sutis que exigem nossa fidelidade: símbolos sexuais, sucesso a qualquer preço, desejo lascivo pelo poder, materialismo irrestrito. Os velhos ídolos continuam a brotar, disfarçados para os tempos modernos. Resistir à tentação de abraçar esses ídolos culturais frequentemente impõe grande sacrifício pessoal.

Considere o solteiro ou solteira que se recusa a capitular diante das chamas da paixão sexual, ou o marido ou esposa que resiste à tentação de sacrificar a vida familiar no altar da carreira, ou a mulher sem marido que ouve a noticia temida de que está grávida, mas que resiste à pressão de solucionar o “problema” com uma visita rápida à clínica de aborto mais próxima.

Nenhuma dessas escolhas é fácil de fazer. Muitas vezes sofreremos perda, medo, confusão e dor ao buscarmos ser fiéis àquilo em que acreditamos e à pessoa em quem cremos. Mas ao confiarmos o resultado a Deus, experimentaremos nova liberdade. Talvez até um anjo se ponha ao nosso lado no meio de nossa aflição, soltando-nos e protegendo-nos das chamas devoradoras que ameaçam consumir-nos.

Ann Spangler

2 comentários

Postar um comentário

Faça o Pr Edmilson feliz: Deixe um comentário respeitoso, gentil, edificante e construtivo. Algo que enriqueça o que foi dito.
Agradeço o tempo que você gastou ao deixar algumas palavras aqui.



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

BlogBlogs.Com.Br