quinta-feira, 11 de junho de 2009

A Mulher Sábia

moz-screenshot

Havia um descendente de Calebe, chamado Nabal, da cidade de Maom, que ganhava a vida na cidade de Carmelo. Ele era muito rico. Tinha três mil ovelhas e mil cabras. A sua mulher se chamava Abigail. Ela era bonita e inteligente, mas ele era mau e grosseiro – 1 Sm 25.2,3

Falei sobre Abigail na reflexão Dia de Fúria. Ali falei mais sobre a reação negativa de Davi diante da ingratidão do marido de Abigail. Agora quero chamar mais a atenção para a sabedoria de Abigail. Ela era esposa de Nabal, um homem cujo nome quer dizer tolo. Não acho que nossa vida está determinada pelo nosso nome. Mas, acredito que neste caso, o nome tinha muito a ver com a pessoa, Nabal era um tolo. Só um tolo age como ele agiu em relação a Davi. Ele sabia muito bem que Davi era o homem conhecido por sua valentia e por ter matado até mesmo um gigante, mesmo assim, Nabal ofendeu a Davi e seus homens, que eram guerreiros também. Não, Nabal não era corajoso, ele era tolo mesmo. O corajoso sabe a quem enfrentar e a quem não enfrentar. O corajoso que enfrenta quem não pode é na verdade um tolo.

Mas, sua esposa era uma mulher bela e sábia. Ela também era o que seu nome significa, Fonte de Alegria. As vezes fico a pensar, como estes tolos conseguem arrumar estas mulheres para se casar? Serão eles tolos de muita sorte? Sei lá. Nabal era rico, e eu desconfio que muito daquela riqueza ele obteve pela sabedoria da esposa. Mulheres sábias fazem com que homens cresçam na vida.

Mas, olha só Abigail tendo que correr atrás do prejuízo causado pelo marido. Olha ela tendo que se humilhar para salvar a pele do tolo. É uma triste realidade que muitas vezes vemos pessoas maravilhosas sofrendo por estarem ligadas a um tolo. Acho maravilhoso que ela não defendeu o marido diante de Davi. Ela não foi se encontrar com Davi para dizer que o marido estava certo. Sim, há muitas mulheres que se tornam cúmplices de seus maridos e se esquecem de Ananias e Safira (At 5). Abigail era sábia. Ela não foi dizer que as bobagens que o marido fez e falou, estavam certas, ela veio ali remediar a situação. Coisa de gente sábia.

Vemos uma Abigail fiel ao seu tolo marido até o dia de sua morte, pois ela sabia que ele era um tolo, mas era seu marido. Foi ela quem escolheu se casar com ele. Talvez tenha errado nisso, mas não iria tentar concertar um erro através de outro erro. Talvez foi ele quem a ajudou a se tornar mais sábia ainda. Por causa dele, ela poderia dar um seminário sobre “como conviver com um tolo”.

O dia de Nabal chegou e ele morreu. Não morreu por causa das orações dela. Só um feiticeiro é que ora para que alguém morra para se ver livre dos sofrimentos. O sábio sabe que a vida de todas as pessoas está nas mãos de Deus e que só ele sabe o melhor momento para a partida de quem quer que seja. Orar para que alguém morra não é nada sábio.

Quando ficou viúva, Abigail se tornou esposa de Davi e, futuramente, rainha. O sofrimento ao lado do tolo havia acabado, acabado do jeito de Deus e com uma Abigail de consciência limpa e com a certeza de que havia feito sua parte. É isso ai, quando estamos vivendo ao lado de um tolo, temos que nos preocupar em fazer nossa parte. Muitos tolos se tornarão sábios, outros... Deus cuida deles. Façamos nossa parte então.

3 comentários

Postar um comentário

Faça o Pr Edmilson feliz: Deixe um comentário respeitoso, gentil, edificante e construtivo. Algo que enriqueça o que foi dito.
Agradeço o tempo que você gastou ao deixar algumas palavras aqui.



 
^

Powered by Bloggerblogger addicted por UsuárioCompulsivo
original Washed Denim por Darren Delaye
Creative Commons License

BlogBlogs.Com.Br